Nada Não!

Nem sei por onde começar, se pelos meus questionamentos a Deus que aconteceram há cerca de 10 dias atrás, ou se pela bunda enorme que praticamente se jogou na minha cara através da TV da loja da frente, mostrando clipes pretensamente "sensuais"... não sei, realmente não sei por onde começar...

Bom, vamos por partes... meus questionamentos nem sei dizer ao certo por que começaram, o fato é que simplesmente começaram. O que eu sei é que algo aconteceu fora do que eu esperava, e de repente eu me vi dirigindo minha moto e falando pra Deus assim: "Essa nossa relação é meio injusta, né não? Eu fico aqui embaixo tentando fazer tudo direitinho, certinho, pra te agradar, pra merecer suas bençãos, e você aí em cima parece que não faz nem questão de tentar me manter perto de você! Ou seja, Você é importante pra mim, mas eu não sou importante pra você. Se eu fosse, você pelo menos se dignaria a me responder o que eu pergunto, mas nãaaaaaaaaoooo! Você vira as costas e sai andando quando não tá a fim de trocar idéia! E não me venha com essa de onipotente, porque se fosse mesmo, evitaria isso, aquilo e aquilo outro. E também não me venha com essa de livre arbítrio, porque se a gente toma uma decisão que você discorda, você simplesmente nos castiga! Assim é muito fácil ser Deus!"

Foi mais ou menos assim que durou minha conversa com Deus, e no final das contas sabe o que aconteceu? NA-DI-NHA mesmo! Depois disso, eu fiquei uns dias até me vigiando pra não cair naquele lugar comum de dizer "ai meu Deus", porque tem coisas que a gente só fala por mania mesmo, sem nem sentir o significado, e eu tava tão revoltada que não queria falar a palavra Deus nem sem querer. O que se seguiu foi uma semana em que eu achei que o universo tinha esvazeado, tudo silencioso, sem vento, sem nada. Quando a gente não acredita em nada, o NADA é exatamente no que tudo se transforma. Estranho, né?

Aí eu acho que hoje eu tô meio que tendendo à fazer as pazes com Ele, porque se a conversa é injusta, imagina brigar então? Acho que vou ficar brigando e  me debatendo sozinha, pra no final das contas acabar chamando de novo por Ele na hora do aperto. Melhor manter a amizade. Até porque hoje estão acontecendo umas coisas muito boas que meio que estão justificando as coisas ruins do dia em que eu briguei com Ele, e eu tô ficando meio sem graça com isso, tipo "tá bom, eu já entendi, eu tava errada".

Ah, e sobre a bunda, eu nem ía falar sobre isso agora porque se tem duas coisas que não combinam são Deus e bunda no mesmo texto, né, mas é que elas continuam pulando TV afora bem na minha cara, e eu explico: sabe aqueles clipes de música americanos aonde aparecem muitas bebidas, homens com cordões de ouro gigantes e mulheres lindas que requebram muito em câmera lenta? Pois é, é isso que tá passando na TV ali da frente, mas como eu estou longe, não ouço o som, só vejo a movimentação, e aí fica mais bizarro ainda, porque a mulherada faz uns biquinhos, uns olhinhos do tipo "sou a gostosona fatal", que faz parecer que a vida é só isso, cachaça, bunda e câmera lenta... O que isso me fez pensar? Que o quilo da picanha é muito mais valorizado do que o quilo da mulher, porque picanha não é qualquer um que pode comprar hoje, ah, não é! Mas mulher, meu amigo... Qualquer boné virado pra trás cata! Essa é a mensagem embutida nesses clipes-ostentação. Homens que cantam sua masculinidade com carrões e mulheres que se submetem a tudo por quase nada. Olha o NADA aí de novo! Coitada dessa geração! Ok, eu, se fosse Deus, acho que também estaria em silêncio absoluto, de vergonha, de desprezo... se nós, que somos sua imagem e semelhança, temos o princípio de que "os bons acabam pagando pelos maus", essa filosofia com Ele lá em cima deve ser até bem mais elaborada, né não? Daí o silêncio.

Aguardando o que vem depois...

11/02/2017

 

 

 

Nó na Garganta

Tava assistindo à uma matéria falando sobre a prisão, no RJ, de um sujeito que tinha mais de 100 vídeos de pornografia infantil em seu computador. O sujeito tem 30 e poucos anos, é analista de sistemas e mora na Barra da Tijuca, área nobre do RJ. Ele disse aos repórteres que se fazia passar por uma menina, para convencer as meninas que falavam com ele a tirarem fotos nuas (!!!).
No domingo também passou uma matéria sobre um velho nojento que é ex-senador e abusou de duas meninas com idades em torno de 6 anos, e foi filmado pelo pai das meninas, que já desconfiava que algo estava errado. O pai das meninas mora com a família numa propriedade rural deste senhor, que é patrão dele.
O outro ser nojento é um juiz aposentado, eu acho, que costumava aparecer no mesmo posto de gasolina comprando lanche, e sempre levando consigo crianças em torno de 2 anos. 2 ANOS, GENTE!!!!!! E pra fechar com chave de ouro, teve também o avô que abusou da neta de 16 anos, ex-delegado! Ah, absurdo dos absurdos, a família não queria que a mãe da menina denunciasse por medo do escândalo, e a justiça absolveu esse demente, dizendo que a menina poderia ter lutado e se livrado (??????????) Os advogados estão recorrendo!
Sabe o que eu queria mesmo saber? O que é isso? É doença? É possessão demoníaca? É monstruosidade natural mesmo? O que é isso? Que tipo de erotismo pode haver no corpo de uma criança? Os nojentos que praticam este tipo de atrocidade certamente falarão sobre a excitação que a pureza causa na mente decomposta deles, e aí eu vou perguntar: então é isso? A questão toda é tomar posse da pureza? É tomar a pureza? É tentar colocar em sua própria alma podre um pouco da pureza que uma criança carrega? Independente da resposta, o resultado será sempre o mesmo: a DESTRUIÇÃO total e absoluta da pureza, e do resto da vida dessa criança!
Talvez não seja questão de fazer perguntas, afinal, nenhuma resposta vai mudar o que ocorreu. Talvez seja mesmo questão de simplesmente buscar a justiça com as próprias mãos! Alguém poderá dizer que não vale a pena, que a pessoa pode acabar com a própria vida buscando o tal olho por olho... bom, mesmo correndo o risco de ser severamente julgada e taxada, vou dizer que acredito que o bem que você faz para a humanidade e para sua própria alma tirando um ser desses da face da terra certamente vai compensar o preço que você vai pagar. Penso no pai que filmou o abuso das filhas para provar que de fato acontecia, já que o abusador era pessoa importante, de influência, e sendo o pai apenas um lavrador. Quem acreditaria na palavra dele? As imagens, muito mais do que gravadas num celular, mas profundamente gravadas na lembrança, tirarão muitas noites de sono desse pai, e dessas crianças. Muitas!
Aí você você faz a lista mental: ex-senador, ex-delegado, analista de sistemas, avô... pessoas acima de qualquer suspeita, né? Só que não! E à despeito de profissão, isso é apenas uma pequena parcela do que as vezes acontece bem no quarto dos fundos, ou na casa ao lado, ou na creche, e aí? Como saber? Como proteger de verdade quem não consegue se proteger sozinho? Como dizer que fez tudo o que podia? Com quem seu filho fala pela internet? Como ter certeza que a pessoa do outro lado é mesmo alguém da mesma idade? Seu filho está protegido? Seu filho está à salvo? 
 
13/09/2016
 
 

Eu "Gourmetizo", Tu "Gourmetizas"...

Bom dia.

Preciso comentar que o povo "pirou" nessa coisa de gourmet, né? Botou a palavra "gourmet" na frase, pronto, dobra o preço do que quer que seja... Por exemplo: churros! Churros é uma massinha feita à base de farinha de trigo, ovos, e tal, que você frita, e recheia com o que sua imaginação mandar, e cobre com canela e açúcar. Delicioso e simples. Até onde eu sei, a forma de fazer é exatamente a mesma, e os ingredientes usados também, e o recheio pode mudar ao gosto do cliente. Custa em média 3 a 5 reais, dependendo de onde se compra. Ok. Mas aí o ser humano diz que o churros não é mais churros, agora ele é CHURROS-GOURMET, e tcharam!!! Esse docinho simples de farinha de trigo e ovos DOBRA, TRIPLICA de preço. Aí você pergunta, mas colocaram farinha de trigo do Himalaia? Ovos das galinhas virgens do Tibet? Nãaaaoooo!!! É que agora o recheio, ao invés de doce de leite, é de Nutella, ou de beijinho, ah, e coberto com côco ralado... Ou seja, apesar de mudar o recheio, ainda assim são coisas normais, do dia-a-dia, mas aí o churros, que antes custava 5 reais, foi promovido e agora custa 12 REAIS!!! Porque agora ele é GOURMET!!! Pois é...

Aí você vai a uma pizzaria e vê no cardápio "PIZZA MUSSARELA - 18 REAIS", "PIZZA MUSSARELA GOURMET - 29 REAIS". Por que???????? Ah, tá, é que agora tem agrião por cima da mussarela, e virou gourmet!!! Realmente, muda TU-DO! Como assim???

Hamburguer! O velho e bom harburguer. Esse aí é, talvez, um dos nomes mais usados em vão neste novo mundo gourmet. Enquanto é hamburguer, queijo, presunto e pão, é normal, e custa cerca de 8 reais. Agora é só colocar uma cebola frita em cima que pronto, "gourmetizou" o pobre sanduiche, e ele agora custa 22 reais!!! Gente, é só cebola frita, pelo amor de Deus!!!

Eu poderia citar mais uns 15 exemplos que eu vejo todos os dias, da porta do meu trabalho, mas daria muito trabalho, e falar em tanta comida a essa hora da manhã não é saudável pra minha dieta Sorrindo, mas acho que entendi agora que, pra ficar rico, basta colocar a palavrinha mágica na sua rotina, tipo um mantra, sem gourmet, 5 reais, virou gourmet, 12 reais... conta bancária sem gourmet, mil reais, com gourmet, 25 mil reais, será que funciona? Bom, não custa tentar...

Outro dia fui fazer um orçamento de placas de grama. Consultei duas lojas em cidades diferentes, na mesma região, mas que recebiam grama do MESMO FORNECEDOR. Na cidade vizinha, preço da placa de grama esmeralda, entregando em qualquer lugar sem frete, e parcelando o valor até em cheques (coisa que ninguém mais faz), podendo receber o valor em casa no ato da entrega: R$ 4,20 o m2. Em Campos do Jordão, A MESMA GRAMA, DO MESMO FORNECEDOR, E EM UMA LOJA DE PORTE MAIOR DO QUE A ANTERIOR, o preço do M2 de grama esmeralda para ser RETIRADA PELO CLIENTE, R$ 8,50. Agora, se for pra entregar, aí o preço já vai pra R$ 10,00 o M2??????? Será que a grama vendida na loja de Campos do Jordão também é GOURMET? Gente, não vou comer a grama não, é só pra plantar mesmo!!!

Tá bom, sejamos justos...  brincadeiras à parte, alguns produtos merecem este título, devido à complexidade de sua realização, aos produtos utilizados, e à destreza de quem os prepara, mas apenas ALGUNS PRODUTOS, tá? Parem de viajar na maionese (maionese comum mesmo, que se disser que é gourmet, ferrou, não consigo nem terminar o texto porque vai ficar muito caro)!

Simbora que o dia já começou...

23/072016

 

O que os Minions têm a Ver???

Por que as pessoas tem esse comportamento estranho, bizarro, de entrarem no debate alheio, e ficarem bravas porque as opiniões são diferentes? E, no final, quando vêem que não conseguiram convencer todo mundo de que estão certas, simplesmente mandam todo mundo tomar no c... ? (rsrsrsrsrsrsrsrs) Foi muito hilário mesmo!

Bom, isso foi só pra ver se alguém me ajuda a entender.

A questão mesmo é: o mundo tá acabando, não tem emprego, comida ou saúde suficiente para todos, existem bandidos armados e policiais que ou são corruptos, ou estão sendo mortos porque não são, fora as músicas de teor sexual, criminoso e inútil que ficam plantando mensagens no cérebro da criançada, e o povo todo preocupado com a cena de sexo homossexual da Globo??????? ChocadoPiscar Acho que eu deveria terminar este texto por aqui.

Deixa eu fazer uma perguntinha só, daquelas claras e objetivas: O QUE VOCÊ FAZ NO QUARTO COM SEU PARCEIRO? É, foi isso que você leu... Enfim, independente do que você faça, me diga, será que se você contasse isso pra alguém, esse alguém acharia isso normal? Sim, porque, à despeito do famoso "sexo normal", seja lá o que você considera normal, tem gente que se pendura pelos mamilos e sente prazer. Tem gente que faz xixi na boca do outro e fica doidão. tem também gente que gosta de dois, três ao mesmo tempo! Fora as preferências bizarras que eu prefiro não mencionar... e sabe o que é o mais louco? É que isso pode estar acontecendo agora, na casa do vizinho, e você nem sabe! Ou ainda, você mesmo pode estar fazendo isso agorinha mesmo, e seu vizinho achando que você é só um cara que tem criação de cabras por hobbie.

Ok, preferências sexuais à parte, tem também aquela galera que tudo bem o filho falando palavrão, ou a filha grávida aos 13, ou ainda o irmão drogado que vive preso e o pai que vive espancando a mãe e ninguém diz nada porque "é problema deles". Tem loucura no mundo pra todo gosto, né? Cardápio variado, é só escolher. E mesmo com tanta opção, você prefere brigar porque a Globo transmitiu uma INSINUAÇÃO DE SEXO ENTRE DOIS HOMENS??? É isso mesmo? De verdade? Quer dizer, eu mesma cansei de ouvir comentários sobre o belo corpo de tal atriz que fez "a cena de sexo no capítulo da novela ontem". Ei, cena de sexo que VOCÊ considera normal, pode! Qualquer outra coisa, não pode! Será que eu deveria terminar mandando você tomar em algum lugar distante, úmido, escuro e apertado? Ou sugerindo um tratamento psiquiátrico? Ou terapia, ou pescaria, ou uma viagem à marte? Sinceramente, não sei! O que eu sei é que o que você faz dentro do seu quarto com quem ou o que quer que seja não é problema meu. O que eu sei é que se você é um ser humano que ao menos tenta ser do bem, é isso o que me basta. Que eu prefiro usar meu tempo fazendo coisas que me interessam, do que tentando fazer o outro mudar de idéia, porque eu aprendi que quando não consigo mudar a idéia do outro, eu "me mudo" de lugar.

É nessas horas que eu concluo que, quanto mais eu conheço gente, mais eu admiro os minions, são unidos, felizes, amarelinhos, e tem uma solução criativa pra todo problema que aparece. 

Tá bom, já parei!

 

14/07/2016

Notas sobre um pouco de tudo...

Bom, muita coisa aconteceu desde minha última aparição por aqui... mas se me derem licença, quero começar de trás pra frente hoje.

Estava agora olhando da porta da cozinha para um bambuzeiro que tem na beira do rio, que fica ao lado da minha-minha-minha casa, e lá, em um dos bambus, tem uma casa de marimbondos pendurada, e eu disse PENDURADA na ponta. Ok. Hoje está ventando por aqui, ameaçando chover, e a tal casinha dos marimbondos tá lá, dando cada chacoalhada 90 graus, e continua super-pendurada, tipo, "daqui não saio, daqui ninguém me tira". Pois bem, nos meus delírios normais não pude deixar de comparar com a malfadada ciclovia que acabou de despencar lá no Rio de Janeiro. Pensei: "caramba, uma casinha de marimbondos, aparentemente frágil, tá lá, firminha, apesar desse vendaval, enquanto as montanhas de concreto e aço erguidas pelo homem acabaram de derreter depois de uma onda... acho que estes engenheiros deveriam trocar mais idéia com os marimbondos pra saber qual é a da tecnologia deles, né não?

Devaneios à parte... andei ocupada com a compra da nossa casa (minha e do meu amor), o que consumiu bastante do nosso emocional, então, eu acho que não tinha carga na minha bateria pra vir aqui, e agora que tudo meio-que voltou ao normal, senti vontade de voltar a dividir algumas loucuras da minha cabeça com os poucos (mas, fiéis) corajosos que ainda se aventuram por aqui, né, Cassiano Tristão? Ele sabe... rs.

Enfim, depois de quase desistir, cansada, irritada, chateada com o universo de maneira geral, nós conseguimos um cantinho pra chamar de nosso. Sabe aquele lugar que nos seus sonhos você se imaginou passando férias? Pois é... hoje esse "lugar de férias" é o NOSSO lugar. Felizes é pouco pra descrever. Gratos... não dá pra medir. E falando com Papai do Céu que, seja lá o que nos levou a merecer isto, que ele sempre nos guie a fazer mais do mesmo. Vou deixar por aqui este resuminho, porque quanto mais silêncio, mais sucesso.

Ainda falando sobre gente, que é o que mais me intriga... estava hoje voltando pra casa depois de ir ao supermercado, e entrei por aquela linda estradinha rural que leva até o meu pedacinho de paraíso, quando me deparo com uns 4 senhores de chapéu de palha, enxadas na mão, limpando a vegetação que já começava a adentrar a estradinha, e parei pra trocar uns "dedinhos de prosa", quando um deles solta "é, moça, nóis tem que cuidá mesmo, porque se num cuidá a natureza manda nóis tudo embora. E dum lugar bunito desses, ninguém quer sair, né messs?". Parece engraçado (e foi), mas olha a sabedoria contida nisso! Precisa explicar? Gente cuidando do que é realmente valioso pra eles. E naquele momento, pouco importava se eram apenas quatro cuidando de uma estrada enorme em que dezenas de pessoas passarão, eles estavam simplesmente cuidando, fazendo a parte deles, se juntando pro trabalho não ser tão pesado, e fazendo a diferença, que eu tenho certeza, eles nem faziam idéia da diferença que faziam naquele momento. Aí, um pouco mais tarde, vejo uma postagem no Face-famigerado-book, em que um conhecido denuncia acúmulo de lixo, animais mortos e outros mimos, num determinado bairro próximo, e que é cercado de natureza, que deveria ser cuidado, acarinhado, porém, todos os "participantes" do debate mostraram muito mais preocupação com o "quem fez" do que com o "como podemos resolver". Aliás, fazendo justiça, apenas o amigo que postou a foto fez a proposta de um mutirão para limpar tudo, mas ninguém se manifestou a respeito, pelo menos não até aquele momento. Enfim... o que eu sei é que aqueles quatro senhores de chapéu de palha fizeram diferença no meu dia. Eles fizeram algo muito grande, muito importante, e sem nenhum alarde, nenhuma selfie, rsrs, nenhuma necessidade de mídia. Esses sim, mereciam méritos e confetes. Esses sim... não você que porque foi na balada posta foto fazendo biquinho (e ombrinho), foi no restaurante, e posta foto fazendo biquinho, foi no shopping, e lá vem mais uma foto fazendo biquinho... Aff!!! Olha a minha impaciência com a humanidade se manifestando de novo!

Vou terminar minha garrafa de vinho deitada na rede e vendo a chuva... Boa tarde!

26/04/2016

Simone Ramos

A Idiotice é Questão de Genética...

Bom... tava aqui pensando que, se considerarmos o fato de que gente fazendo idiotices existe desde os tempos bíblicos, então, estamos no caminho certinho da "evolução". Ó, pensa comigo... Moisés, por exemplo, tava lá, de boa, sendo príncipe do Egito quando, num momento de iluminação, teve contato direto com Deus, tipo conversa mesmo. Aí Deus manda ele tirar o povo hebreu de lá e tal, e avisa que vai mandar umas pragas pra ajudar no processo. Ok. Moisés trocou várias idéias com Deus, que provou que tinha poder mesmo e mandou gafanhoto, sapo, rio de sangue e o escambau, e mesmo assim, mesmo vendo tudo isso, Moisés ainda foi lá tretar com Deus, discordar do que Ele tava fazendo. Helloooo, é Deus, O CARA, sabe? Tá discutindo o quê, amigo, fica quietinho que manda quem pode, e obedece quem tem juízo! Ah, isso porque não mencionei o Ramsés, irmão postiço do Moisés, e que virou o bam-bam-bam do Egito depois que o pai morreu, mas que mesmo vendo tudo aquilo acontecendo, ainda queria teimar também. Enfim...

Beleza, vamos rodar esse épico uns milhares de anos adiante...

Judas. O cara do beijo da discórdia. Judas andou com o Herdeiro de tudo um tempão, viu água virar vinho, viu peixe se jogando dentro do barco, viu o CARA acalmar tempestade com um aceno, viu até o Lázaro, depois de mortinho mortinho, voltando à vida. Viu de tudo um pouco, diga-se de passagem, e mesmo com tudo isso faz o que? Tcharam!!! Entrega Jesus de mão beijada pros soldados do Pilatos por "30 dinheiros"!!! E como se a idiotice já não tivesse completa, ainda se mata de "pesinho" na consciência, aaahhh, vai vendo!!! É o cúmulo mesmo. O cara faz merda, pega dinheiro, e depois se mata! Ou seja, nem aproveitou a chance de estar ao lado do FILHO-DO-CARA, nem gastou os "30 dinheiros" que ganhou, e nem virou amigo do Pilatos pra contar vantagem depois. Fala se não é bem típico do ser humano?

Aí, um tiquinho mais adiante, me vem o Tomé, que depois de conhecer Jesus, e ver sendo crucificado, ressucitando e o caramba, ainda me vem dizer que só acredita que ELE era ELE mesmo se tocasse nas feridas, pra confirmar que era Jesus mesmo!!! Ou seja, a estupidez humana é antiga, estilo a.C. mesmo.

Analisando tudo isso, só posso dizer que tudo bem "quadradinho de oito", tudo bem "Mc Melody", tudo bem a pessoa amarrar uma bomba ao próprio corpo e explodir, tudo bem jogar lixo em área verde ou maltratar animais, ok, tudo normal, de verdade. É o processo normal da "evolução" humana. Não daria pra esperar outra coisa mesmo. Seria o mesmo que tentar ensinar aramaico pra um macaco. Não dá pra exigir do pobre macaco mais do que o limite evolutivo dele permite, né? Não dá!

O ser humano é historicamente limitado. Historicamente burro, e historicamente destinado à destruição, seja dele mesmo ou do todo. É dele! Coitado! Já nasceu deformado! Começo a desenvolver a teoria de que os que se sobressaem, e que têm um comportamento contrário ao seu dna-auto-destrutivo-do-caramba, estes são, na verdade, os et´s que todos dizem que estão entre nós. Este sim são seres evoluídos que estão tentando ("ingloriamente") salvar o planeta de seus próprios habitantes. Já que desistem também!

Pra finalizar eu diria que, mesmo que Jesus em pessoa chegasse por aqui, e abrisse os céus, e descessem anjos tocando trombetas e tal, mesmo assim, ainda teria algum imbecil que iria lá querer tretar com ele, iria dizer algo do tipo "tu não é o filho de Deus, então conserta o mundo aê, tio". Bom, fazer milagre é fácil, fácil. Consertar cérebro idiota, já é pedir demais, né?

02/12/2015

Simone Ramos

 

Cuide do seu Jardim... Só dele, viu?!

Gente, hoje eu descobri que até pra fazer o bem tem limite... verdade, tem limite sim! Essa coisa de "fazer o bem sem olhar a quem", e todo esse blá blá blá sentimentalista e pseudo-altruísta não tem nenhum fundamento na realidade. Eu explico: a realidade é formada de pessoas que muito mal e porcamente levantam de suas camas de manhã achando que, somente por isso, são pessoas do bem. Que o fato de "trabalharem honestamente" e "pagarem suas contas em dia" as faz melhores. Hipócritas disfarçados de "pacatos cidadãos". Só isso!

Deixa eu exemplificar de onde veio esta conclusão.

Hoje cedo meu marido escutou gente jogando lixo na mata que tem nos arredores da minha casa, e que é uma área verde, e que se localiza numa área de proteção ambiental, e que deveria ser naturalmente um lugar de preservação, principalmente pelas pessoas que moram ao redor. Ok. Ele saiu de casa para ver o que estava acontecendo, e começou a perguntar para as pessoas próximas se alguém tinha visto quem havia jogado lixo ali. Como sempre, como todo bom brasileiro, ninguém viu nada, nadinha, nadinha! Em 5 minutos tinha um debate formado na vizinhança, mas não de pessoas achando absurdo jogar lixo em área verde, mas sim de pessoas achando absurdo meu marido se importar com isso!!! (PAUSA PRA DIGERIR A INFORMAÇÃO).

Isso mesmo, os vizinhos em volta começaram a dizer que ele não deveria se importar, que era um absurdo "criar caso" com a vizinhança inteira por causa de "árvore", que "sempre foi assim", que a cabeça das pessoas não vai mudar, e etc, etc, etc. Bom, eu, de roupão no meio da rua, com o celular em punho, decidindo se usava ele pra registrar a situação ou pra enfiar na cara de alguém, já estava me preparando pra fazer uma cena ao estilo "Sai de Baixo", misturado com "Pé na Cova".

Seguindo... tinha uma senhora, que por sua idade deveria me dar lições de vida e de moral, mas que assustadoramente só repetia "ele é filho da Lurdes, ele é filho da Lurdes", como quem diz, é daquela família que só arruma confusão. (Esclarecimento: Lurdes é minha sogra, que também não fica quieta quando vê algo errado e, por este motivo, incomoda muito). Então, continuando... barraco rolando, gente vindo ver o que acontecia e tal, quando eu virei para a tal senhora e falei, depois não reclame de ficar 3 horas na fila do SUS para ser atendida, e nem se seu neto estiver passando mais tempo na rua do que na escola, afinal, a gente tem aquilo que merece.

Enfim, tudo foi se dissipando... a tal senhora entrou no ônibus indo para o inferno (eu espero), o outro vizinho entrou, o outro que estava mudo continuou calado, e meu marido ficou absurdamente decepcionado e frustrado. Quanto a mim? Bem, tudo isso só reforçou o que eu já penso sobre essas criaturas infelizes que moram por aqui, que na verdade nada tem que mudar pra elas mesmo, porque suas vozes são ferozes para cobrar, mas suas mãos são aleijadas para fazer alguma coisa, assim como seus cérebros. Ficam na fila do SUS colocando a culpa de sua desgraça nos governos, achando que por serem pessoas "boas" merecem ser melhores tratadas pela vida. Coitados! Nunca sairão de onde estão. Gentinha mínima, com cérebro mínimo, e com o mínimo de chance na vida. Acho que mesmo que vivêssemso num mundo perfeito em que todo o dinheiro público é usado para melhorar a vida da "pobre população", mesmo assim, o ser humano ainda daria um jeito de "cagar" tudo. Porque é da natureza deles, é mais forte do que eles, é genético. Ah, no final das contas descobrimos que quem havia jogado o saco de lixo da discórdia foi o marido da infeliz senhora que foi a primeira a dizer que não tinha visto quem jogou o lixo... e durmam com um barulho desses!

 

24/11/2015

Sobre gente, inclusive eu.

É, já tem um tempinho que eu não venho por aqui... é que eu tenho andado focada em outros projetos pessoais e tal, mas vou tentar me redimir. Como sempre, vou falar sobre gente. Êita raça, viu... dá pra se ver de tudo um pouco, é mãe solteira sendo estuprada, e o estuprador, ao final de tudo, leva suas compras e ainda agradece pelas compras. É taxista que, ao final de uma corrida, cobra pelo uso do bagageiro. É cliente que quebra produto dentro da loja e finge que não entendeu. É gerente que não gerencia. É vendedora que não olha além. É mãe que chama 10 vezes o nome do filho de 5 anos que atravessa a rua correndo, sem dar a menor atenção. Ufa!!! Tenho mais uns 30 exemplos pra mencionar, mas se fizer isso, um texto só não vai bastar pra explicar. Na verdade, acho que os exemplos que dei já são meio que auto-explicativos.

Bom, também tem um ou outro exemplo legal no meio disso tudo. Recentemente vi uma pessoa que está realmente determinada a melhorar, e sua dedicação já apresenta resultados reais, visíveis, e que, conforme a própria pessoa me falou, ela vai continuar praticando porque ela viu que deu certo, e agora ela quer mais. Palmas e parabéns para um dos raros exemplares humanos que conheço que não quer ser regra, mas exceção.

O que me confunde é saber que, por exemplo neste caso, tem várias pessoas em volta, vendo que ela resolveu mudar, vendo que deu certo, e que dá certo todos os dias, vendo que os resultados estão sendo absolutamente lucrativos em todos os sentidos, e simplesmente escolhem se manter aonde estão, no limbo. Isso é uma coisa que eu realmente não entendo! É assim, enquanto se tem 20 e poucos anos, ok, ainda dá pra errar e acertar e errar e acertar, mas depois disso, será que ninguém pára pra pensar nos próximos 10 ou 20 anos? Será que as pessoas não vêem que, conforme a idade chega, tem certas coisas que você não vai mais querer passar, você vai querer algum conforto, algum retorno da vida, mas que isso só vai acontecer se você for inteligente agora? Como é que as pessoas escolhem, por vontade própria, serem burras?!

O pior de tudo é que essas pessoas, que nada fazem, ou melhor, que fazem SEMPRE A MESMA COISA, ainda tem a audácia de quererem ser tratadas de maneira diferente! Isso é o cúmulo da loucura mesmo! Tenho também o exemplo da pessoa que não faz nada, não melhora, não se informa sobre sua área, NADA, NADA, RIGOROSAMENTE NADA, e ainda quer benefícios! Simplesmente porque alguém tem, ela também quer!!! É incapaz de auto-crítica! É incapaz de olhar e dizer, peraí, o que eu estou oferecendo em troca para reinvindicar isso e aquilo?

Gente! Se tem uma coisa que eu odeio é não ter razão, é ser cobrada por algo que eu deveria ter feito e não fiz! Quando isso acontece, eu não perco meu tempo com raiva de quem me chamou a atenção. Eu uso meu tempo, digamos, "com raiva" de mim porque não fiz. Fico me perguntando ô Simone, tá maluca? Como você não viu isso? Como você deixou isso passar? Se liga, meu! E aí é óbvio que o caminho seguinte é o da melhora, é o da atenção redobrada, pra eu poder dizer "Aproveita esse meu erro, porque provavelmente foi o último". Claaaaaro que não foi o último, eu também sou humana, infelizmente, e é certo que essa coisa de DNA vai se encarregar de me fazer errar novamente, mas não tão rápido. E mesmo assim, ainda vou estar me cobrando pelo melhor de mim.

Meu questionamento atual é se eu devo cobrar às pessoas com as mesmas exigências com as quais me cobro, ou simplesmente aceitar que sempre vai ter o estuprador, o taxista, a mãe, a gerente, a vendedora, que a única coisa que tem em comum é a espécie, mas que fora isso todos são diferentes, fazem escolhas diferentes, e tem destinos bem diferentes traçados. Será que devo me desgastar ou ignorar? Me envolver ou deixar pra lá? Gritar com quem grita ou só fazer cara de Monalisa, como se nada estivesse acontecendo? Tentar mudar quem não se adapta ou só descartar?

Alguém pode me dar uma dica, por favor? Estou aceitando sugestões.

Bom dia!

 

30/08/2015

 

 

 

Coitadinho do zumbi

Como é que se faz para inflar uma mente vazia? Existe receita? Ou é só o tempo mesmo?

Hoje acordei pensando que o ser humano consegue se especializar até em ser burro, e que isso é quase uma arte, de tão perfeito. Se dedica mesmo a essa coisa de não pensar. De deixar o cérebro dormindo mesmo com o maior calorzão lá fora... o cérebro fica lá, deitadão, de pijama e pantufa e cheio de cobertor por cima. Se recusa a ir lá fora olhar o que está acontecendo. Se exercitar então, nem pensar!

O pior é que isso não é "privilégio" de um ou outro nãaaaoooo... várias pessoas estão aderindo, e igualmente se especializando na sutil arte de "gelatinizar" o cérebro, que faz as vezes de balão de gás, ali, pairando em cima do pescoço, querendo voar. Deixa voar então, minha gente! Solta a linhazinha fina que prende sua cabeça ao seu pescoço, e deixa voar. Finge que é um balão de gás e deixa ir, não tá servindo pra nada mais mesmo! Desapega!

O problema disso tudo é que, como se não bastasse a extinção do mico-leão-dourado, do Programa Minha Casa Minha Vida (porque se a Dilma diz que não vai acabar, é por vai!), e de pais que "tomam a tabuada" de seus filhos, ainda teremos que enfrentar a extinção de outra espécie: o Zumbi! Pois é, porque com essa escassez de cérebros de qualidade, eles vão comer o quê? É... o mundo tá acabando mesmo.

01/08/2015

 

Pinguinhos de Temporada

Nossa, tá meio difícil parar pra escrever ultimamente. Muito trabalho, pouco tempo livre, pouco sono, aí você chega tarde em casa, toma uma cerveja pra relaxar de um dia de trabalho, bate na cama igual a uma pedra no fundo do rio, fecha os olhos e 5 segundos depois já amanheceu de novo. Ufa! Mas tá quase no fim.

A questão é que muitas coisas aconteceram desde o último texto, mas vou falar do mais recente. Ontem entrei num debate no Facebook, desses que me interessam, falando sobre os rumos políticos da minha cidade e tal. Até aí, nada de anormal. Tudo começou quando eu aproveitei o comentário de um dos participantes do debate, quando foi solicitado a dar nomes de alguns de nossa política que estariam com sua conduta não tão ilibada, e ele disse que não mencionaria nomes para não se expôr. Neste momento pensei, "é verdade, preciso falar sobre esse assunto porque isso é um vírus mortal". Aí, como sei que se trata de assunto delicado, já comecei meu comentário dizendo, olha fulano, não estou te atacando ok? Estou só fazendo um comentário sobre algo que está espalhado por toda parte. Nuuussssassssinhora, o cara virou o bicho, falou que eu estava atacando ele, que eu não tinha direito de chamar ele de covarde, que o ativismo político dele já existia antes de eu pensar em sair da barriga da minha mãe. Aí eu respondi, olha, eu disse no começo que não era um ataque, que eu apenas estava pegando um gancho no seu comentário, não se sinta ofendido, e tal. Mas o cara não parava. E falava, e esbravejava, e começou a dizer que eu era parte de uma burguesia não-sei-o-quê. E eu pensando: Oi? Pedi desculpas, né, por ter acabado com o dia dele sem querer, e mesmo tendo tentado não causar mal-estar, o sujeito quase teve uma síncope. Foi mal aê!

O fato é que gente que se esconde atrás de frases do tipo "não vou me comprometer", ou "não quero problemas pra mim", ou então, "não vou falar porque não adianta", meu, isso é um câncer mesmo. Não admiro quem não dá a cara a tapa, e nem cedo meus ouvidos para ouvir o que estas pessoas tem a dizer, se é que tem o que dizer. Seja lá qual for a razão, não há o que justifique a omissão. A omissão alimenta todo tipo de sujeira social, e motiva os que fazem essa sujeira a continuarem sujando. Difícil mesmo é encontrar quem diga "aconteceu assim, e se perguntarem, pode dizer que fui em quem falei". Nooosssssaaaa, isso quase não existe mais. Eu sei que é triste, mas é real.

Ah! Outra coisa que aconteceu foi eu postando uma foto do planeta a não sei quantos anos atrás, e outra foto, mais atual, do mesmo ângulo, mostrando o quanto o planeta está árido e seco. Aí eu compartilhei a foto e postei: "Taí, papais e mamães, é esta herança que vocês estão deixando para os seus filhinhos amados, mas tudo bem, porque é muito amor envolvido, né?" Ah, pra quê que eu falei isso, pronto, o povo já começou a dizer que todos vão sofrer, independente de ter filhos ou não, e blá blá blaá. Aí eu respondi que nós seremos velhos daqui há uns 40 anos, e sofreremos bem pouco, mas os filhos serão jovens adultos e estes sim, passarão bastante tempo ainda sofrendo, e tal. Bom, a verdade é que, para pais e mães, principalmente mães, é muito complicado falar deste tipo de assunto, porque admitir que estão deixando esta herança para seus filhos, é o mesmo que admitir que já começaram errando com eles desde antes de seu nascimento. É admitir que já falharam ao permitirem que viessem a este mundo da maneira como ele está. E que mãe ou pai quer admitir isto, não é mesmo? Principalmente quando a frase do momento diz "É muito amor envolvido"! Que amor deixar o planeta podre do jeito que está para os jovens cuidarem no futuro, enquanto nós, os que seremos velhos no futuro, terminamos nossa jornada e largamos eles aqui para se virarem se puderem, aonde falta comida, água, energia, emprego e estrutura. Pois é, dá-lhe amor.

A verdade é que as pessoas só querem ouvir o que querem ouvir. Coisas ditas fora do que se espera coloca todos imediatamente na defensiva. Ninguém quer lidar com verdades para as quais não se tem contra-argumentos. As pessoas querem dizer "eu não quero me comprometer" e ouvir de volta "é isso mesmo, não vale a pena se comprometer". Elas querem dizer "ahh, estou grávida", e ouvir de volta "nossa, que lindo, o importante é que venha com saúde". Ninguém quer alguém dizendo que o silêncio é um câncer e que a maternidade hoje em dia tem mais a ver com egoísmo pessoal do que com amor. Quem quer ouvir isso?

Penso que as pessoas querem viver num eterno comercial de margarina, com cachorrinhos correndo em câmera lenta enquanto toca "Happy" ao fundo, o tempo inteiro.

Sabe o que é ser feliz mesmo? Conviver com a realidade como ela é do lado de fora de nossas cabeças, e conscientes disso, buscarmos o melhor caminho. Se pudermos facilitar para alguém, será bom. Se pudermos tirar crianças da merda, ao invés de colocar outras na merda, bom também. Se pudermos admitir que, uma vez que compartilhamos nossas opiniões, estamos sujeitos ao microscópio da opinião alheia, mesmo que a opinião alheia não seja a mesma que a nossa, e que isto não é necessariamente ruim, melhor ainda.

Então tá, resumo da Temporada 2015 feito. Missão cumprida por agora, mas logo menos eu volto. Valeu por ter chegado até aqui, significa que você é uma pessoa muito, mas muito paciente mesmo, ou não tinha nada melhor pra fazer. Brincadeirinhaaaaa!!!

29/07/2015

 

Manual do bom cliente

Gente, vê se alguém concorda comigo. Eu, como pessoa que trabalha no comércio, e com a finalidade de ser uma profissional melhor, daquelas que não estrangula seu cliente dentro da loja e esconde o corpo dele no estoque, já fiz alguns workshops de atendimento, leio bastante sobre o assunto, e tal. Ok. Vocês não acham que deveria também, na mesma proporção, existir cursos de especialização para clientes? Tipo: "O Cliente Ideal", ou "Sendo o Melhor Cliente", ou ainda "Como Conviver em Harmonia com o Vendedor"?. Né não? Porque, juro, depois de começar a trabalhar com o público, eu virei uma cliente beeeeeem melhor, beeeeeem mais consciente.

Sugiro aqui algumas regrinhas simples que poderiam estar presentes no nosso Manual do Bom Cliente:

1 - Caro cliente, se um vendedor te cumprimentar com um "bom dia", por favor, responda também "bom dia". Não responda "só tô dando uma olhadinha", ou "só tô conhecendo a loja" e coisas assim, afinal, se o vendedor quisesse esse tipo de resposta, ele não diria bom dia, diria "o que você está fazendo na minha loja?".

2 - Se um vendedor te oferecer ajuda para pegar um objeto, você recusar, derrubar o objeto e quebrar, pelo menos finja que deseja pagar, não vire as costas e saia andando, reclamando que o objeto estava "na beiradinha" e caiu. Xícaras e pratos não têm tendências suicídas.

3 - Quando um vendedor te atender, dê a preferência e se dirija a ele para tirar suas dúvidas. Não faça perguntas a um, olhando para o outro, e chamando um terceiro pra pegar pra você. Se liga né? Monopolizar todos os vendedores da loja não é legal.

4 - Se o vendedor te disser que o desconto máximo é de X%, então é de X%. Não insista. Não vai adiantar reunir o gerente, o supervisor e o Papa, pois o desconto continuará sendo de X%, e ponto! Dica: dar desconto ou não é prerrogativa da loja, e requer um tiquinho de educação na hora de ser solicitado, né?

5 - Outra coisa importantíssima sobre descontos: 19,90 está mais para 20,00 do que para 19,00, concorda? Então, se você disser "ah, moça, tira os 0,90", eu vou dizer "é mais fácil você acrescentar 0,10 pra arredondar!".

6 - E, por último, mas não menos importante, se um vendedor passar uma hora te explicando um produto, olhou nos seus olhos, disse 7 vezes o nome dele e apertou sua mão, por favor, tenha a consideração de procurar por ele quando você voltar pra comprar. Não faça outro vendedor perder tempo te explicando novamente o mesmo produto, pra você comprar, passar pelo primeiro vendedor que te atendeu e dizer "OOOiiiiii, voltei pra pegar a churrasqueira!". Você acaba com o dia do vendedor de um jeito que não imagina. É desrespeitoso com o trabalho alheio, e certamente quando você voltar à loja todos lembrarão negativamente de você, aí, já viu né?

Bom, eu poderia também falar sobre os diversos tipos de clientes que existem, como o cliente "loira-do-tcham", o cliente "quer-pagar-quanto?", entre outros, mas isso vai ficar para uma próxima... Até lá, sugiro que os aspirantes à cliente do ano pratiquem, pelo menos, a educação, afinal, o cliente tem sempre razão quando ele realmente tem razão! E como diz uma conhecida minha, "atrás do balcão também bate um coração", seja lá o que isso signifiquePiscar{#smileys123.tonqueout}Selvagem.

19/07/2015

Banheiro de Rodoviária

Gente, eu preciso dividir um questionamento importantíssimo. O que acontece com a mulherada, que consegue ir ao banheiro e deixar a borda do vaso mais molhada do que o chão de um banheiro de rodoviária? Socorro... No banheiro do shopping aonde eu trabalho deve ter uns 5 reservados, e hoje foi mais um dos dias em que, toda vez que eu fui ao banheiro, tive que fazer o velho ritual de tirar papel higiênico, esfregar papel higiênico na borda com a pontinha dos dedos, jogar papel higiênico no cesto fazendo cara de nojo. Repeti essa sequência hoje váaaarias vezes, pega papel higiênico, passa papel higiênico no vaso...

Queria perguntar, o que acontece com vocês, mulherada? Vocês estão praticando salto ornamental dentro do vaso? Parece que ficam de pé na borda do vaso, miram, e chuáaa!!! É xixi pra todo lado, eca... e saem fingindo que nem foram elas que fizeram aquilo. Tão disputando? Tem alguma olimpíada rolando no banheiro que eu não tô sabendo?

Sabe, alguém precisa avisar que já inventaram um negócio higiênico que põe em volta da borda do vaso. Aí você pode sentar de boa, sem pressa, olhando o facebook, ou conversando com o namorado, como já ouvi várias DR´s de banheiro, tipo, tá um eco desgraçado de banheiro, uma barulheira de xixi e outras cositas más, e a criatura tá lá, falando: se você continuar me tratando desse jeito, vai ver só a merda que eu vou fazer na sua vida!!! Bom, se o sujeito do outro lado da linha vai ver, eu não sei, mas pelo cheiro vai ser feia a coisa, se eu fosse ele, pedia perdão agorinha mesmo, seja lá pelo quê!

Aaaaahhh, tem também quando a mulher tá "naqueles dias", esqueceu o absorvente, ou acabou, sei lá, aí usa o quê, O PAPEL HIGIÊNICO!!! Tudo bem, tudo bem, quem nunca, né? O problema é que na hora de jogar no cesto, parece que faz questão de jogar virado pra cima, pra todo mundo ver, pelo amor de Deus, o que é que eu tenho a ver com isso?

Difícil, viu... vida de mulher não é fácil não. Aí, depois que você pegou papel higiênico, passou papel higiênico na borda, jogou papel higiênico fora com cara de nojo, você sai querendo amputar a mão, imaginando milhões de bactérias passeando por ali, vai direto para o porta-sabonete líquido salvador, aperta, aperta... aperta de novo, e nada! Nadinha mesmo! Sai do banheio olhando pras suas mãos como se elas não te pertencessem, e vai em busca do álcool em gel. Ufa! Esse tem! Mas não é no banheiro não! Afinal, já viu banheiro de rodoviária ter essas coisas? Aff!

12/07/2015

Cala a boca, Simone!!!

Ultimamente tenho tentado loucamente exercitar algo que é pra lá de difícil pra mim, a arte de ficar calada.

Pois é... ficar calada, para a minha pessoa, é um problema sério, já que depois dos 35 anos aconteceu uma mudança interna esquisita comigo. Parece que as barreiras se foram, que já não é necessário fazer nada que eu não tenha vontade, e que o que pensam é só o que pensam, não o que é.

Não, não tem nada de complicado. Dá a impressão que depois de certa idade, você está o tempo inteiro sem roupas, sem bagagens, quase que sem vergonhas excessivas. Que agradar o tempo inteiro é absolutamente desnecessário, e que dizer "não" é tão fácil quanto tomar um bom vinho numa noite fria, em frente à lareira.

Eu vejo algumas "idiotices" que pessoas mais novas fazem, e meu espírito começa a berrar. "Meu Deus, como é que você pode achar esse treco pendurado aí algo bonito de se ver?", "jura que isso é o novo sexy?", "se isso é sexualmente atraente, juro, prefiro ser eternamente brochante daqui pra frente". Mas aí, eu volto pro meu momento mantra total, sorrio com aquela expressão de Monalisa, e digo: "Ah, tá...".

Aí eu vejo uma moça até bonita, desfilando pela passarela que Campos do Jordão vira nesta época do ano, com uma mini-mini-mini-saia, uma bota até os joelhos, longos cabelos loiros com chapinha, um chapelão de abas, e uma Heineken na mão, num frio de rachar. É... bonita sim.

Passa outra com uma mini-mini-mini-saia, uma bota até os joelhos, longos cabelos loiros com chapinha, um chapelão de abas, e outra Heineken na mão, e eu penso, "peraí, será que é irmã da outra?" Aí a próxima que passa tá igualzinha também!!! Produção industrial de Barbies. Acabou a identidade individual, as pessoas não usam mais o que elas gostam, mas o que a moda diz que é tendência. Socorroooooo!!! Cala a boca, Simone, fica quieta.

Vejo um outro grupo que, às 22:30 "passeia" dentro do shopping, bocejando tão alto que parece um urso ameaçando atacar, mas tá ali, firminho, no frio, com a breja gelada na mão que já deve tá na mão dele há uns 30 minutos, pelo menos, olhando vitrines escuras de lojas que estão fechando e tirando selfies em frente às colunas do shopping, ou com as almofadas da loja. Vai postar o que nas redes? Olha eu me divertindo com a coluna em Campos do Jordão? Ou, olha eu com essa super-almofada de uma loja em Campos do Jordão. Quando termina o momento-selfie, a pessoa volta a bocejar. Aí eu penso de novo: "galera, vai pra casa, vai comer um fondue na frente na lareira, dando risada com os amigos. Vai se divertir de verdade. Senta num restaurante legal, com boa música, e vai comer bem. Mas nãaaaaao, ficam zumbizando pela rua só pra dizer que está zoando, uhuuulll... só eu sei o tamanho da boca bocejando.

Tá vendo? É disso que eu tô falando, preciso realmente guardar certos pensamentos só pra mim... preciso mesmo exercitar o tal do silêncio. É que ando sofrendo uma overdose de ser-humano. Qualquer hora dessas eu vou evaporar, tipo, nossa, cadê a Simone? Tava aqui agorinha mesmo! Tô doida pra chegar naquela fase de "falo nada, só observo".

10/07/2015

 

 

 

O Homem da sua vida

A vida é INSANAMENTE perfeita. Ontem vi uma velha conhecida que passou por péssimos momentos há alguns anos, quando descobriu que estava sendo traída pelo idiota que não conseguiu manter o p... dele dentro da calça, e resolveu ir ciscar na lama, apesar de ter uma vida de rei com ela. Essa conhecida, naquela ocasião, estava a ponto de aceitar qualquer tipo de vida que o sujeito pudesse lhe oferecer, só pra não se separarem, e por mais que todos dissessem o que todos sempre dizem, que vai passar, que Deus tinha coisa melhor reservada, que um dia ela nem lembraria do que aconteceu, era lógico que ela não escutava. Estava surda, cega, e completamente catatônica achando que aquele era o homem da sua vida. Ok. De fato, esse cara foi a melhor coisa que aconteceu na vida dela, siiiimmmmm, e sabe por quê? Voltemos aos dias atuais... Já passados alguns anos desde tudo o que eu citei, ela está com outra pessoa, claro, a fila anda, meu bem. E essa outra pessoa é simplesmente um cavalheiro, com um sorriso bonito, e aquela gentileza que ainda puxa a cadeira para a moça sentar. Enquanto ele cuidava de outros afazeres, ela olhava para ele com aquela carinha de "ai, aiAmor" , e eu só via vários CoraçãoCoraçãoCoração saindo dos olhinhos dela, coisinha mais bonitinha de ver.

Bom, a essa altura você deve estar com cara de ué, querendo saber por que eu disse que o imbecil lá de cima tinha sido a melhor coisa que aconteceu pra ela, né? Eu tô vendo essa expressão na sua cara agora! Pensa junto... se o idiota não tivesse feito aquele desgrenho todo na vida dessa minha conhecida, ela jamais teria se separado dele, e acreditem quando eu digo que ela JAMAIS teria se separado dele, e consequentemente, jamais teria aberto as portas pra chegada desse príncipe que encheu os olhinhos dela de Coração...

Aí, a vontade que dá é de chamar o sujeito e dizer: "cara, eu queria te agradecer de todo o meu coraçao por você ter ido embora com aquela visão do inferno que você escolheu (porque a fulana é mesmo a própria esposa do cruz-credo, jesuisssss), e ter deixado a porta aberta pra eu conhecer o homem da minha vida".

E assim eu tenho uma pergunta pra você: você está com o homem da sua vida, ou com o cara que vai te apresentar pra ele? Hein? Hein?

07/07/2015 

Hora do Almoço

Hoje foi um dia em que eu fiquei vendo tudo em câmera lenta... é que eu não dormi o suficiente, e quando isso acontece, é pior do que se tivesse enchido a cara com pinga. Acordei numa ressaca emocional, numa irritação por ter perdido uma noite de soninho reparador que eu nunca, nunquinha vou recuperar. E pra piorar, hoje era um dia daqueles em que eu não poderia largar meus compromissos nem que a Terra estivesse sob um ataque alienígena, sabe? Pois é, desse jeito.

Acontece que ver tudo em câmera lenta tem suas vantagens... fui almoçar no mesmo bat-restaurante de sempre, e na mesa ao lado estavam 4 dos "aspirantes a celebridades" locais, e minha super-audiçao pôde detectar coisas do tipo "e aí, falou com ele sobre aquele esquema lá?", no que o outro respondeu, "peraí que eu vou ligar pra ele A-GO-RA". E ligou mesmo. Colocou a mão na frente para o caso de a supe-câmera do Fantástico estar fazendo leitura labial, confabulou, confabulou, e desligou, informando ao resto do grupo, "ELE falou que já resolveu". Meu... quem é esse ELE? Me senti num filme do Poderoso Chefão, sei lá... imagino esse ELE atrás de uma mesona de madeira de lei, com um chapelão italiano e um cigarro na boca, ordenando a execução de algum desafeto, enquanto alguém engraxa seu sapato mega-brilhante. Tá bom, já parei.

O fato é que eu fiquei pensando: "meu, eles tão falando de mim!" Éeeee, de mim, lógico! Pensa comigo... se eles vão ter alguma vantagem, significa que não vão trabalhar pra isso, nem pagar por isso (seja lá o que for). Como nada é de graça, alguém vai trabalhar para pagar pelas vantagens DELES, e se quem vai trabalhar e pagar não são ELES, entao somos NÓS! Eu, você, nós. Sacou? Faltou um tiquinho assim pra eu gritar lá da minha mesa, ô, eu tô vendo hein! Mas fiquei de boa, afinal, como hoje tô meio lenta, era capaz de eu estar conseguindo terminar a frase só agora.

Acho que agora seria uma boa hora pra abrir uma cerveja. Alguém está servido? Cheers!

07/07/2015 

Sobre governos e chocolates

Mesmo depois de ter dormido as sagradas e necessárias 8 horas de sono, estou meio cansada, parece que participei da meia-maratona... mas eu explico: minha noite foi meio montando uma plataforma de governo, meio criando receita de bombom. Pois é. Aí acordei bem cedinho pensando: o que é que uma coisa tem a ver com a outra, meu Deus?

Vamos lá... sobre o governo, minha plataforma seria, em primeiro lugar, fazer uma reunião pública, com a cidade inteira. É, com a galera toda mesmo, tipo, na Praça do Gazebo, convoco a população, e explico: bom dia gente, é o seguinte, tô entrando hoje pra tentar resolver umas coisinhas que eu sei que ficaram pendentes, mas, na boa, preciso de ajuda. Sozinha, não vai rolar, ok? Então, eu sei que cada um aqui acha que seu problema é a prioridade. Que trocar tal telhado é prioridade, ou que iluminar aquela rua é prioridade. Mas, vamos combinar, precisamos começar pelo começo. Não dá pra fazer tudo de uma só vez. Todos concordam? Siiimmmmm! Não ouvi direito. SIIIMMMM!!!. Agora sim. Ótimo. Temos um acordo. Primeiro escolhemos o recheio, que precisa combinar com chocolate escuro, que é o que eu vou usar. Não, fruta não, porque certamente vai agradar a poucos, e desagradar a muitos. Vamos escolher um recheio mais popular. O que vamos fazer é montar o bombom diferente. A base vai ser igual, chocolate ao leite, chocolate meio-amargo e creme de leite. Com a base pronta, a gente reúne o pessoal da polícia, e monta mini-bases em pontos estratégicos da cidade, pra não deixar passar nada. Aí, partimos pra escolha do recheio. Eu proponho beijinho, nozes ou doce de leite, que com certeza vai agradar a todo mundo. Escolhido o recheio, a gente chama o pessoal da educaçao e pergunta: você trabalha com amor? Mas tem que olhar no olho pra fazer essa pergunta, viu? Não é de qualquer jeito, não! Porque a pessoa tem que sentir na alma o efeito da pergunta. De novo, vai... você trabalha com amor? Você se sente útil fazendo o que faz? Porque se sim, tamo junto. Mas, se não, tá na hora de mudar tudo, profissão, estilo de vida, opções, enfim, tudo mesmo. Ok. Agora que você separou quem fica e quem sai, e escolheu base e recheio, é hora de montar o doce.

Forminha bonita, brilhante, pra todo mundo ver que você fez com carinho. Põe o chocolate derretido, e deixa até endurecer. É rapidinho. Aí, coloca o recheio com uma colher de café, pra ficar delicado e conseguir equilibrar o orçamento. Põe tudo na geladeira por uma horinha só, e tcham-ram, tá pronto! Você tem uma sobremesa gostosa e delicada, e um governo aonde todo mundo trabalha junto. Ou um governo doce e bem feito, e uma sobremesa de qualidade, e firme, enfim! Depois de passar a noite tentando receitas de governo e de bombons, de repente, vejo tanta semelhança entre os dois! Só não sei se como governante eu sou uma ótima cozinheira, ou se como cozinheira, sou só uma ótima gerente de loja... Bom dia!Grande Sorriso

06/07/2015 

Pensei uma coisa, e falei outra...

Hoje comecei o dia pensando num assunto, que é o comportamento das mulheres depois que viram mães... aí enquanto tomava café minha cabeça se encheu de coisas que faziam todo o sentido, e que eu queria muito compartilhar, mas aí, vi uma postagem no face que me fez mudar completamente o foco...

Ontem uma amiga, que por iniciativa própria resolveu reformar a Zoonoses da cidade em que moramos, Campos do Jordão, estava chateada, porque o material comprado não daria para o que precisava ser feito. Ai ela postou. E aí a mágica começou. Gente, começou a aparecer loja de material de construção doando cimento, gente se oferecendo pra dar banho nos bichinhos, mais gente se candidatando a ir até lá ajudar... Nossa! Sabe quando alguma coisa consegue te deixar arrepiado? É que eu amo aquele filme A Corrente do Bem. Ele sempre fez todo sentido pra mim. Na minha cabeça, aquilo é totalmente possível! E óbvio! Se pra cada favor que eu recebo na vida, eu faço mais três pra outras três pessoas, e peço em troca apenas que elas façam a mesma coisa para outras pessoas, e assim sucessivamente, olha que energia vou distribuir pelo planeta! Meu Deus! Tô arrepiada de novo... Deixa eu me recompor.

Voltando ao foco. A questão é que, poucas horas depois que essa amiga postou sua chateação, já veio outra postagem da mesma amiga, dizendo que agora, além de ter o material necessário para terminar o que já havia sido começado, ainda tinha para mais... para começar a pintura do lugar! Gente, num país em que a gente só ouve falar de todo mundo se aproveitando de todo mundo, não é emocionante e revigorante você ver alguém ajudando só por ajudar? Só pra fazer o bem e nada mais? Dá até esperança em relação às pessoas, viu... e olha que eu dizendo isso é um elogio tipo master-blaster-plus, porque quem me conhece sabe que eu sou a inimiga número UM da continuação da raça humana no planeta Terra, mas isso já é outro assunto...

Agora, me faz um favor? Só por hoje faça algo de bom sem esperar recompensa. Depois observa a mágica começando na sua vida. Bom dia!

05/07/2015

A primeira vez a gente... sempre esquece alguma coisa!

Ei, tô falando com você! É, com você! Tô chegando por aqui hoje, e provavelmente, mesmo depois de ter passado boa parte da manhã pensando num texto de abertura show de bola, daqueles que a pessoa lê e fala: noooossssaaaa, eu certamente não vou lembrar de nada, e no decorrer do dia vou acabar me arrependendo de tudo o que eu escrevi. Mas, beleza, vou ter que me conformar, já que estarei no trabalho e não terei tempo de entrar e mudar tudo. Bom, em todo caso, você, seja lá quem for, é bem-vindo, e eu não tenho nenhuma pretensão de ser a próxima aspirante a uma cadeira na Academia Brasileira de Letras, mas pretendo dividir umas coisas aí que ando pensando sobre nós, seres pretensamente humanos. Tomara que eu consiga ser clara. Eu volto.

04/07/2015

Simone Ramos